DEIXAR DE TOMAR DROGAS PSIQUIÁTRICAS: UM GUIA PARA A REDUÇÃO DE DANOS

0
446

Um importante guia para todos aqueles que querem deixar de tomar drogas psiquiátricas. A cartilha é gratuita e você pode baixa-la na internet (versão em espanhol). Ela está traduzida em diferentes línguas; infelizmente ainda não está disponível em português.

Essa cartilha foi criada a partir das informações e experiências de pessoas que sofrem tentando parar de fazer uso de medicação psiquiátrica. Will Hall iniciou a experiência em 2004, no oeste de Massachusets. Em princípio, eram reuniões mensais entre pessoas que compartilhavam do sofrimento de serem vítimas da psiquiatria, e pouco a pouco essas reuniões passaram a serem feitas em intervalos menores de tempo, até chegar ao estágio atual. É o Projeto Ícaro (Icarus Projet) e o Centro Liberdade (Freedom Center), experiências que se espalham pelos Estados Unidos a dar suporte a todos os que sofrem com o processo de deixar de tomar medicamentos psiquiátricos, com iniciativas como classes de Yoga, grupos de caminhada, reuniões de mútuo suporte, escutando vozes (hearing voices), orientação dietética, meditação, etc. Quando estava em seus vinte anos, Hall foi diagnosticado como esquizofrênico e ficou internado em hospital psiquiátrico. E hoje  não toma mais drogas psiquiátricas.

will-hall

Assim como Hall, outros e muitos outros após haverem conseguido se libertar do sistema psiquiátrico querem contribuir para ajudar todos os que passam por dificuldades semelhantes. Participam usuários de drogas psiquiátricas, ‘sobreviventes da psiquiatria’ e familiares.

As pessoas costumam ter questões básicas que não conseguem formular aos seus médicos. Como p. e., se os benzodiazepínicos criam dependência química? Se interromper o tratamento com os antidepressivos leva à recaída da temida depressão? Ou, por que mesmo tomando os antipsicóticos conforme o que foi prescrito pelo psiquiatra não conseguem ter uma vida normal?

É possível se parar de tomar esses medicamentos? Há pessoas que conseguem, outras não. Umas com mais facilidade do que outras.  Por que?

A cartilha não é um protocolo ou uma receita de procedimentos.  Mas cria espaço para que cada um encontre o seu melhor caminho e que possa contar com o suporte de quem já passou ou está passando por experiências parecidas.

caminho

O sumário dos principais conceitos:

Quando a medicação psiquiátrica está em questão, duas visões se confrontam:

“Centrada na doença”  VERSUS  “Centrada na Droga”

O que resulta que conforme uma ou a outra visão, as seguintes questões serão respondidas de forma distinta por natureza:

  • O que são as drogas psiquiátricas?
    • Tratamento para doença mental X Substâncias psicoativas que alteram a mente e que podem ser úteis ao mesmo tempo que com riscos.
  • Como funcionam?
    • As drogas corrigem um processo anormal, uma doença de desequilíbrio químico no cérebro X As drogas criam um processo químico anormal no cérebro, como todas as substâncias psicoativas.
  • Quando usá-las?
    • Quando um transtorno mental particular está presente X Quando experiências particulares dos efeitos da droga são úteis no contexto.
  • Por que elas são úteis?
    • Os efeitos terapêuticos surgem da ação da droga no processo causador da doença X Os efeitos terapêuticos surgem por estarem sendo induzidos pela droga psicoativa que produz alteração dos estados mentais
  • O alvo?
    • Sintomas da doença X Corpo + Mente de quem toma a droga
  • E os riscos?
    • Os riscos da droga são necessários para tratar a doença X Os riscos da droga podem ser graves e podem ser piores do que a experiência para a qual a droga foi prescrita
  • Paradigma?
    • “Como a insulina para diabetes” X “Como o álcool para a ansiedade social”
  • Questões chaves:
    • Você tem uma doença mental?  X  É a droga útil para você levando em consideração os seus riscos?

Quem quiser aprofundar as diferenças entre o “modelo de uso de drogas centrado na doença” e o “modelo de uso de drogas centrado na própria droga”, vale a pena ler o artigo de Joanna Moncrieff e David Cohen, publicado no British Medical Journal “How do psychiatric drugs work?” É imperdível a palestra dada por Joanna Moncrieff sobre essa problemáticas na Universidade da Nova Inglaterra, com o título O Mito da Cura Química: A Política do Tratamento da Droga Psiquiátrica. (Lembre-se, o youtube oferece a ferramenta de legenda, em inglês, mas também em português. Não deixa de ser uma ajuda!)

Deixe uma resposta