Dr. Joseph Firth: O Papel do Exercício e da Nutrição no Início da Psicose

0
996

bernalyn ruizEsta semana no MIA Radio, entrevistamos o Dr. Joseph Firth. Dr. Firth é um pesquisador em pós-doutorado da Western Sydney University. Sua pesquisa enfoca o papel do exercício e da nutrição no primeiro episódio de psicose em jovens.

Nesta entrevista, discutimos:

  • Que o Dr. Firth completou seu doutorado em Manchester, no Reino Unido, que se concentrou no papel do exercício no tratamento da psicose em jovens.
  • Que ele agora trabalha em um programa de tratamentos adjuntos e novos para psicose, particularmente o papel do exercício e da nutrição, incluindo a tecnologia e a saúde móvel.
  • Como os resultados mostram que o exercício pode reduzir os sintomas em jovens, como déficit cognitivo, a falta de motivação e o isolamento social e que estes são sintomas que os medicamentos realmente não ajudam.
  • Isso, nos estágios iniciais da doença psicótica, atualmente existem poucas intervenções além da terapia, de modo que o exercício e a nutrição podem ter um papel na redução da necessidade de medicamentos antipsicóticos e até mesmo evitar o aparecimento de sintomas psicóticos.
  • Essa pesquisa qualitativa mostrou que os jovens relatam que seus sintomas são reduzidos ou se tornam menos preocupantes quando se exercitam.
  • Como o exercício e a nutrição têm papéis fundamentais na redução das desigualdades na saúde que são observadas em jovens tratados com drogas antipsicóticas.

Links relevantes:

A qualitative study of exercise in early psychosis

Exercise useful for cognitive functioning in psychosis

Feasibility study of exercise for young people with psychosis

B-Vitamins as an add-on treatment for Schizophrenia

Artigo anteriorPor que Doenças e Enfermidades são Conceitos do Corpo
Próximo artigoCampanha Internacional Prêmio RxISK
Bernalyn Ruiz
Equipe de Notícias do MIA-UMB : Bernalyn Ruiz é doutoranda na Universidade de Massachusetts Boston e tem mestrado em psicologia clínica pela Columbia University. Ela está envolvida em pesquisas sobre psicose e estigma numa perspectiva de justiça social. Ela é uma filha orgulhosa de imigrantes mexicanos e espera desempenhar seu pequeno papel na melhoria da saúde mental na América Latina.