O distanciamento social é tão difícil porque é contrário à natureza humana

0
98

Publicado no Washington Post: “Tão importante é a conexão social com os seres humanos que a sua falta é terrível para a nossa saúde. Os Estados Unidos já têm altos níveis de solidão, considerados como um perigo à saúde pública antes mesmo que o coronavírus nos isolasse ainda mais. Os cientistas distinguem solidão de estar solitário: pessoas solitárias têm fome de conexão, e sofrem ao não tê-la. E um amplo corpo de pesquisa descobriu que pessoas solitárias estão em maior risco de terem uma série de doenças, incluindo doenças cardíacas, câncer e Alzheimer.

Cole estudou o porquê e encontrou alguma história em nossos genes. Porque os seres humanos são tão sociais, os vírus – como o que causa o covid-19 – nos amam. Os vírus se espalham melhor por meio de contato pessoal próximo, seja em uma colônia de morcegos ou em um dormitório cheio de calouros. Em lutas por sobrevivência ao longo da evolução, isso nos levou a construir defesas antivirais robustas em nosso sistema imunológico. Como Cole coloca, nos apoiamos em nossas pernas antivirais.

Sentir-se socialmente isolado, no entanto, desencadeia uma resposta de luta ou fuga, como ocorreria em nossos ancestrais, para quem ficar sozinho poderia significar ser um almoço de um tigre com dentes de sabre. Isso acelera a inflamação, uma resposta do sistema imunológico adequada para combater a infecção bacteriana – tendo como resultado provável sair ferido, disse Cole. O corpo se volta, ele disse, para as suas pernas antibacterianas.

Nos humanos antigos, essa resposta teria sido passageira. Mas o estresse dos tempos modernos, disse Cole, faz com que muitas pessoas se sintam ‘cronicamente inseguras, mantendo a resposta em um ponto de ebulição’. O mesmo acontece com a solidão, que alguns pesquisadores caracterizam como uma epidemia. E a inflamação fertiliza doenças crônicas e também nos deixa mais vulneráveis a viroses. ”

Artigo →