Membros da Casa Soteria original falam!

Voyce Hendrix, co-autor de "Soteria: From Madness to Deliverance", fará uma palestra online para Rethinking Psychiatry no domingo, 1º de novembro das 14h às 16h (horário do Pacífico, horário de verão).

0
333

No domingo, 1º de novembro de 2020, das 14 às 16 horas (horário do Pacífico, hora de verão), Rethinking Psychiatry fará uma palestra online sobre a história da Casa Soteria [Soteria House]. Voyce Hendrix, que trabalhou na Casa Soteria original, será a nossa oradora convidada.

A Casa Soteria foi um modelo inovador que começou em 1971 em San Jose, CA, no condado de Santa Clara. Recebeu o nome da deusa grega ou espírito de segurança, salvação, libertação e proteção contra o mal. A casa era para jovens adultos que atendiam aos critérios do DSM para “esquizofrenia”. [1]

A ideia da Casa Soteria era “estar com” as pessoas enquanto elas passavam por estados extremos. A psiquiatria convencional vê esses estados extremos – frequentemente rotulados como psicose – como algo a ser consertado, erradicado e medicado. Soteria, por outro lado, via os estados extremos como cheios de significado, algo pelo qual as pessoas precisavam ser sustentadas em um ambiente seguro e sem julgamentos. Nenhum comportamento era muito “estranho” – contanto que as pessoas não estivessem fazendo mal a si mesmas ou a outras pessoas, elas poderiam fazer o que fosse necessário para se expressar. O cenário era uma casa e era radicalmente diferente de um ambiente institucional. Restrições químicas e físicas não eram usadas na Soteria. [2]

Muitas pessoas na Casa Soteria não usavam medicamentos psiquiátricos, ou os usavam por pouco tempo, principalmente para conseguir ajuda para dormir, caso ao chegar à Casa estivessem acordadas há vários dias. Soteria não era anti-medicação, mas a medicação não era considerada necessária, e as pessoas tinham a opção de tomar ou não medicação psicotrópica. O modelo era baseado no verdadeiro consentimento informado e autodeterminação. Soteria também proibia o uso de drogas ilícitas. O álcool não era tecnicamente proibido para pessoas em idade legal para beber, mas, de acordo com Voyce, raramente era consumido em casa.

A Casa Soteria foi fundada pelo  Dr. Loren Mosher, MD, que foi o primeiro Chefe do Centro de Estudos da Esquizofrenia do Instituto Nacional de Saúde Mental (NIMH) de 1969-1980. Dr. Mosher também foi o fundador e editor-chefe da revista científica Schizophrenia Bulletin. Dr. Mosher foi inspirado por Kingsley Hall em Londres, fundado por seu colega R.D. Laing.

Muitos consideram Kingsley Hall um fracasso caótico, e alguns podem considerar o comportamento dos médicos inadequado para os padrões de hoje. Os ex-residentes de Kingsley Hall relembram experiências diversas. Independentemente do que se pensa dos métodos pouco ortodoxos de Kingsley Hall, muitos achavam que as práticas da psiquiatria convencional na época – lobotomias forçadas, tratamento com eletrochoque forçado, “terapia com insulina”, etc. – eram muito mais horríveis e não tinham raízes em nenhum tipo de ciência. Laing ajudou a pavimentar o caminho para algo diferente.

Voyce Hendrix

A Casa Soteria era administrada por Voyce Hendrix, um técnico psiquiátrico licenciado que mais tarde se tornou um LCSW (Assistente Social Clínico Licenciado), e Alma Menn, agora um ACSW (membro da Academia de Assistentes Sociais Certificados). A Casa Soteria também era administrada por um grupo diversificado de não profissionais. Muitos desses não profissionais ganharam experiência ajudando pessoas em “viagens ruins” com LSD e outros psicodélicos. A Casa Soteria enfrentou muitas adversidades desde o início – incluindo oposição dominante, falta de financiamento e recursos adequados, rotatividade de pessoal e situações inesperadas. Eles estavam descobrindo as coisas à medida que avançavam, e isso ficou complicado.

Infelizmente, Loren Mosher morreu em 2004. Ele lutou incansavelmente contra um sistema que parecia mais preocupado em proteger o status quo do que em fornecer ajuda efetiva e compassiva às pessoas.

Falei com Voyce Hendrix, o assistente social que ajudou a fundar a Casa Soteria, e Burt Mooney, que morava lá. Ambos forneceram informações valiosas sobre como era fazer parte deste programa inovador desde o início.

Voyce veio para a Soteria após experiências decepcionantes de trabalho em instituições estatais para pessoas que foram rotuladas de “doentes mentais” ou “retardados mentais” (o que na época era considerado um termo aceitável). Ele descobriu que essas instalações administradas pelo Estado supunham o pior dos pacientes e os tratava como um incômodo. As práticas dessas instalações eram totalmente abusivas e os pacientes não eram tratados como indivíduos. Voyce foi atraído pela Casa Soteria por causa de sua abordagem respeitosa e centrada na pessoa.

Voyce é primo do famoso guitarrista Jimi Hendrix, o que é bastante apropriado. Quando Jimi entrou em cena pela primeira vez, sua forma de tocar eri considerada completamente bizarra. As pessoas não sabiam o que fazer com isso. Agora Jimi Hendrix é considerado uma lenda e um talento incrível e único. Como seu primo, Voyce foi um pioneiro. Como a música de Jimi, a ideia da Casa Soteria foi considerada bizarra e absurda por muitos, mas os resultados foram realmente brilhantes.

Burt Mooney foi um dos residentes originais da Casa Soteria. Sua história é contada sob um pseudônimo no livro Soteria: Through Madness To Deliverance, de Loren, Voyce e Deborah Fort. Burt passou por muitos traumas e instabilidade na infância e o que ele chama de emergência espiritual experimentada no final da adolescência. Desde que deixou a Soteria, Burt abriu seu próprio negócio, se casou e teve filhos, e pôde viver uma vida boa e evitar hospitalização psiquiátrica. Isso é o que Burt diz de seu tempo na Soteria:

“Eu literalmente experimentei o renascimento enquanto estava na Soteria. Meu nascimento real nesta vida, eu era um bebê azul em um nascimento violento. Meu corpo estava realmente azul. Passei pelo menos vários dias me preparando para isso rastejando escada acima, como de volta ao útero. Foi um processo bastante longo, culminando em [sendo um dos funcionários da Soteria] me renascer simbolicamente.

Não sei se todos que estão passando por uma Emergência Espiritual precisam ou têm que passar pelo que passei.

Eu realmente acredito que a maioria dos que estão passando por uma Emergência Espiritual está passando por um ou vários processos como eu passei por sete dias e noites consecutivos. Cada processo pode ser bastante diferente. Eu acho que VOCÊ, ou seja, o TODO, de Você, Mente, Corpo, Espírito, sabe o que fazer uma vez que o FLUXO comece em um ambiente de Lar, Seguro.”

A história de Burt incorpora as ideias de renascimento que são comuns em muitas culturas em todo o mundo e que foram popularizadas pelo psiquiatra Carl Jung. Claro, cada situação e experiência na Soteria era única, e a Soteria apoiou o caminho de cada indivíduo para a cura. Foi fascinante e inspirador ouvir o que a experiência de Burt na Soteria significou para ele.

Um artigo de revisão independente mostrou que a Casa Soteria levou a resultados pelo menos iguais – e muitas vezes superiores – à psiquiatria convencional. Então, quase 50 anos depois, por que há apenas um punhado de casas Soteria no mundo? Por que a Casa Soteria original está extinta? Por que a maioria das pessoas nunca ouviu falar das casas Soteria? Por que Loren Mosher e Voyce Hendrix e seus colegas não são conhecidos por todos como pioneiros, como o é famoso primo de Voyce?

Muitos acreditam que a resposta é porque a psiquiatria convencional foi ameaçada pelo sucesso de Soteria. Quando Eric Clapton, considerado o deus reinante da guitarra na época, cantou os louvores de Jimi Hendrix, ninguém pensou que isso negasse o incrível talento de Clapton. O próprio Clapton parecia confiante e seguro o suficiente para celebrar um recém-chegado promissor, em vez de ser ameaçado por ele. Com a Casa Soteria, era diferente. Claro, em teoria deveria haver espaço para muitas formas diferentes de tratamento, uma vez que diferentes modalidades funcionam para pessoas diferentes. Mas o sucesso de Soteria ameaçou o próprio paradigma sobre o qual a psiquiatria convencional foi construída.

O Dr. Loren Mosher, Voyce Hendrix e as outras pessoas envolvidas na Casa Soteria enfrentaram grande hostilidade da psiquiatria convencional. A reação realmente cresceu com o passar do tempo e a Casa Soteria se tornou mais bem-sucedida. A Casa Soteria original fechou em 1983.

O Dr. Mosher e o restante da equipe da Soteria admitiram abertamente que não tinham todas as respostas. Eles também estavam trabalhando em um sistema que oferecia muito pouco suporte. Muitas pessoas criticam a Casa Soteria sem entender do que se trata. Por exemplo, Voyce Hendrix se lembra de ouvir um debate da NPR entre o respeitado jornalista Robert Whitaker, autor de Mad in America e Anatomia de uma Epidemia, e o Dr. Jeffrey Lieberman, um ex-chefe da APA que sofreu fortes críticas por experimentos que muitos acreditam foram cruéis e antiéticos.

O Dr. Lieberman em um momento descreveu Soteria desta maneira imprecisa, “Soteria foi um experimento radical nos anos 60 que foi provado ser equivocado com suposições falsas.” Quando o Sr. Whitaker pediu evidências, o médico não obteve resposta. Com uma discussão racional, uma acusação como essa pode ser facilmente refutada começando com o período de tempo: a Soteria California esteve em operação de 1971-1983, então “uma experiência radical nos anos 60” está incorreta. Mais importante ainda, é injusto dizer que Soteria foi “mal orientada” e “baseada em falsas suposições” quando seus resultados foram iguais e muitas vezes superiores aos da psiquiatria convencional. Embora ninguém afirme que as pessoas que dirigiam a Soteria eram perfeitas ou tinham todas as respostas, isso permitiu que muitas pessoas vivessem vidas inteiras em vez de se tornarem institucionalizadas, e muitas reivindicações contra a Soteria são infundadas e factualmente incorretas.

Felizmente, o modelo da Casa Soteria não morreu totalmente. A Casa Soteria começou na Suíça em 1984, um ano após o primeiro Soteria fechar suas portas. Existem casas Soteria na Europa, Israel e nos Estados Unidos. Uma Casa Soteria no Alasca esteve em operação de 2008-2015. A Soteria Alaska teve alguns grandes sucessos, mas sua história, descrita eloquentemente por Daniel Mackler e Jim Gottstien, é complicada e comovente.

A história da Soteria House é complexa e fascinante. As Casas Soteria nunca tiveram o apoio de que precisavam, mas ainda assim conseguiram mudar muitas vidas. Esperamos que você se junte a nós online no domingo, 1º de novembro, das 14h às 16h (horário do Pacífico, horário de verão) para ouvir Voyce Hendrix compartilhar a história do começo da Casa Soteria, e falar a respeito do futuro desse modelo. Para mais informação, visite www.rethinkingpsychiatry.org

Notas de pé de página:

  1. O diagnóstico “esquizofrenia” e o próprio termo são controversos. Na época da fundação da Casa Soteria, algumas pessoas, principalmente o Dr. Thomas Szasz, já haviam criticado a ideia da esquizofrenia como uma doença, e muitas pessoas continuam a questionar essa ideia. O site Repensando a Psiquiatria não assume uma posição oficial sobre esta questão e respeitamos o direito das pessoas de nomear sua própria experiência, independentemente de usarem ou não linguagem diagnóstica. Independentemente da posição de alguém sobre isso, para se qualificar para financiamento federal, a Casa Soteria original teve que trabalhar dentro desses limites. Os participantes da Casa Soteria também deveriam ser solteiros e ter entre 18 e 30 anos.
  2. A falta de restrições físicas de Soteria foi um tanto controversa. Às vezes, as pessoas em casa faziam coisas que incomodavam os outros, como gritar, tirar a roupa ou quebrar coisas. Esse foi um dos muitos desafios enfrentados neste ambiente – permitir que as pessoas expressassem as emoções avassaladoras que estavam sentindo, ao mesmo tempo que garantiam que outras pessoas em casa se sentissem seguras. Parte do modelo da Soteria era a ideia de apoio mútuo – que todos na casa eram encorajados a ajudar e apoiar a pessoa que estava passando pela crise, ao mesmo tempo em que buscavam seu próprio apoio se estivessem chateados com o comportamento de alguém. No entanto, o senso de comunidade e a abordagem respeitosa e centrada na pessoa geralmente ajudam as pessoas a lidar com as emoções com segurança. Essa abordagem vive na Soteria Vermont e em outras casas da Soteria em todo o mundo.

Mad in Brasil hospeda blogs de um grupo diversificado de escritores. Essas postagens são projetadas para servir como um fórum público para uma discussão – em termos gerais – da psiquiatria e seus tratamentos. As opiniões expressas são dos próprios escritores.