Revista Cult Publica Dossiê Dedicado à Saúde Mental Coordenado por Paulo Amarante

0
468

A edição 292 da Revista Cult conta com textos, dispondo de arquivos dedicados ao tema da saúde mental, abordando questões atuais da reforma psiquiátrica: medicalização, comunidades terapêuticas, a importância da arte-cultura na relação entre loucura e sociedade.

O dossiê “O pesadelo da normalidade – Sofrimento Psíquico e Exclusão Estrutural”, coordenado pelo psiquiatra Paulo Amarante, recupera o arcabouço histórico e os desafios atuais da luta pela Reforma Psiquiátrica Brasileira. Os textos celebram a originalidade de Franco e Franca Basaglia, na Itália, e de Nise da Silveira, no Brasil, e a descoberta da
arte como cuidado e expressão das pessoas em sofrimento mental.

Isabel Cristina Lopes – A arte que nos habita e transmuta do humano

“…. Toda forma artística, como nos diz Adorno, é um conteúdo social histórico que decanta. São essas densidades tão heterogêneas que a arte mistura, fazendo flutuar e repousar simultaneamente o tempo, os sentidos, parindo o ato criados, tornando assim possível a experiência do visível e do invisível da criação…”

Leonardo Pinho – Comunidade terapêuticas e seus artifícios

“Mas a que serve o “acolhimento” das comunidades terapêuticas? Nada mais é que um dispositivo que opera processos de higienização social e de aporofobia…”

“As comunidades terapêuticas se tornaram o principal dispositivo no país para a constituição de uma reação aos avanços da reforma psiquiátrica e dos caminhos de desinstitucionalização…”

 

Marcelo Kimati – Medicalização e sociedade contemporânea

“A medicalização desloca a preocupação do processo para a
pessoa, suas propostas inadequações ou fragilidades individuais…”

“…O sistema diagnóstico de psiquiatria dá inteligibilidade para o
sofrimento mental, sem que isso demande a reavaliação de si, das
reavaliações sociais, de projetos e vínculos …”

 

Paulo Amarante – O pesadelo da normalidade | introdução, Franco e Franca

“Ao inverterem o princípio do saber psiquiátrico, Franco e Franca Basaglia desenvolvem o dispositivo epistemológico, ético e político de pôr a doença entre parênteses – O que possibilitaria ocupar-se dos sujeitos concretos em suas experiências de sofrimento, limites, projetos, desejos, faltas e incompletudes…”

Walter Melo – Nise da Silveira e a instalação do humano

“É inegável a importância de Nise da Silveira para os campos da
saúde mental, da psicologia e das artes em nosso país. As instituições
que ela criou sempre tiveram a serviço da liberdade e da democracia…”

Wellington Andrade – Entrevista | O sonho como modo de fazer política e
como estado de criação

“… Bob Sousa Duas semanas antes de completar 86 anos, no dia 30 de março, o diretor de teatro José Celso Martinez Corrêa recebeu a Cult em seu apartamento, no bairro do Ibirapuera, em São Paulo, para falar de seu mais novo projeto: a adaptação para o palco do livro A queda do céu: palavras de um xamã yanomami, de Davi Kopenawa e Bruce Albert…”

Segue o link da revista para acessar a revista completa
https://revistacult.uol.com.br/home/