Royal College of Psychiatrists sob Acusação de Promessas Enganosas

0
161

Em The Herald: um grupo de especialistas em saúde mental e pacientes apresentaram uma carta formal de queixa acusando o Royal College of Psychiatrists de enganar o público com afirmações “potencialmente perigosas” de que a maioria dos pacientes não experimenta nenhum efeito de abstinência dentro de duas semanas de parar antidepressivos .

A carta de queixa, apresentada pelo Dr. John Read, professor de psicologia clínica da Universidade de East London, é assinada por outros 29 psiquiatras, acadêmicos e pacientes que sofreram anos de sintomas de abstinência após a expulsão de antidepressivos.

Os signatários incluem o Dr. Peter Gordon, um psiquiatra de Stirlingshire e Ann Kelly do West Dunbartonshire, ela que anteriormente falou para o Herald sobre ser alguém que permanentemente está paralisada por dor severa, problemas de mobilidade e distúrbios visuais, apesar de ter demorado dois anos e meio para diminuir gradualmente o término dos antidepressivos.

A carta de queixa afirma que a reivindicação de duas semanas “não é baseada em evidências, está incorreta e induz o público ao erro sobre uma questão importante de segurança pública, com conseqüências potencialmente perigosas”.

Eles acrescentam que “as pessoas podem ser enganadas pela falsa declaração, ao pensarem que é fácil retirar a droga e que, portanto, podem tentar fazê-lo de forma muito rápida ou sem o apoio de quem prescreve, de outros profissionais ou dos entes queridos”.

Artigo →

Dra. Wendy Burn

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta