Disfunção Sexual Pós-Uso de Antidepressivos

Consequências na vida sexual, após uso de antidepressivos.

0
213

Acaba de ser publicado em The British Medical Journal, o que os antidepressivos produzem em seus usuários em termos de saúde sexual. Com não pouca frequência, são dificuldades sexuais após o tratamento, que são muitas vezes irreversíveis.

“Dificuldades sexuais após o tratamento com inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRSs) foram relatadas pela primeira vez às agências de regulação de medicamentos em 1991, mas somente em 2006 esses sintomas foram formalmente caracterizados como uma síndrome, agora conhecida como disfunção sexual pós-ISRS.

“Em maio de 2019, o comitê de avaliação de risco de farmacovigilância da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) concluiu que a disfunção sexual pós-ISRS é uma condição médica que pode persistir após a descontinuação dos ISRS e inibidores da recaptação da serotonina-noradrenalina (IRSNs). Um mês depois, a EMA recomendou que as informações do produto sobre todos os antidepressivos relevantes fossem atualizadas para refletir os relatos de disfunção sexual a longo prazo após o término do tratamento.

“A disfunção sexual pós-ISRS é sub-reconhecida e pode debilitar tanto psicológica quanto fisicamente. Os sintomas incluem dormência genital, diminuição do desejo sexual (libido), disfunção erétil, falha na excitação ou orgasmo, orgasmo fraco ou desprazeroso e ejaculação precoce. As alterações sensoriais podem se estender além da área genital …”

Para ver a matéria na íntegra, clique aqui →

—–

[Se você fizer uma busca em nosso site, você encontrará várias referências a essa síndrome.

Senão, basta clicar na página central da página do MIB, à esquerda, em links importantes] →RxISK