Carta-Aberta contra o Racismo Sistêmico na Psiquiatria

Renomados psiquiatras exigem que o seu corpo profissional elimine urgentemente o racismo sistêmico

0
479

Em uma carta aberta, mais de 100 psiquiatras incluindo os do Reino Unido, estão convocando o novo presidente do Colégio Real de Psiquiatras a revisar a sua resposta ao racismo sistêmico e à discriminação em todo o setor.

Os signatários da carta condenam a história da profissão de não apenas ignorar os efeitos da discriminação sobre os seus pacientes, mas de pintar outras culturas como “psicologicamente primitivas” e os efeitos prejudiciais de “enquadrar as suas abordagens para entender o sofrimento como superstições retrógradas”.

A poderosa carta revela a história alarmante da psiquiatria, que “rotulou como psicóticos os manifestantes de direitos civis e os dissidentes políticos”. Ela também destaca a trágica desigualdade que persiste até hoje, já que a profissão “continua a encarcerar desproporcionalmente os negros e a coagi-los ao tratamento”.  Revela que os pacientes negros têm mais probabilidade de morrer sob medidas de restrição enquanto recebem cuidados de saúde mental do que os branco.

No entanto, são os psiquiatras na linha de frente, que testemunham as consequências devastadoras do racismo e da discriminação na vida daqueles “vistos como ‘outros’ e desumanizados”, que estão agora pressionando para uma ação de longo alcance.

Os signatários estão pedindo ao Royal College of Psychiatrists (RCPsych) que corrija urgentemente este erro e que crie uma comissão independente para examinar todos os currículos de treinamento e diretrizes práticas que o College produz. Também pede que a força-tarefa inclua diversos usuários de serviços e especialistas reconhecidos em racismo institucional e colonialismo.

A carta conclui com força: “Esperamos que vocês vejam isso como nós vemos – uma oportunidade única em uma geração para colocar a psiquiatria na vanguarda do combate ao racismo sistêmico e aos legados malignos do colonialismo na medicina e na sociedade em geral”.

Eles esperam que a carta seja amplamente publicada no primeiro dia da nova Presidência do RCPsych, para manter a pressão sobre o corpo profissional neste momento crítico.

Ajude a divulgar essa carta, em suas redes sociais, conversando com os seus amigos, ou mesmo enviando uma carta ao próprio College.

A CARTA ENVIADA AO PRESIDENTE DO ROYAL COLLEGE OF PSYCHIATRISTS

Dr Adrian James,

President

Royal College of Psychiatrists

21 Prescot Street

London

E1 8BB

10 de Julho de 2020

Prezado Dr. James,

Como novo presidente eleito do Colégio Real de Psiquiatras, sabemos que o Sr. está tão chocado como nós com os chocantes atos de violência contra os negros que têm sido destacados e que se tornam o foco de protestos sustentados no mundo inteiro desde a morte de George Floyd. Aplaudimos a nomeação futura de dois líderes presidenciais para a igualdade racial e que são encorajados pelo compromisso da sua plataforma eleitoral de defender a igualdade e a diversidade. No entanto, gostaríamos de exortá-lo a estender este empreendimento para a criação de uma comissão independente.

Como psiquiatras, damos testemunho das consequências devastadoras do racismo e da discriminação sobre aqueles vistos como outros e desumanizados. Há discriminação persistente e desigualdades generalizadas na sociedade que fazem com que os membros do grupo dominante recebam diariamente benefícios enquanto outros são desqualificados, silenciados e atacados, ou tornados invisíveis em o nome de uma igualdade ilusória. A psiquiatria, a psicologia e a psicoterapia estão profundamente arraigadas nas raízes históricas através das quais os sistemas e estruturas sociais criados pela colonização, escravidão e exploração econômica se institucionalizaram e foram incorporadas em nossos modos de vida e nas percepções uns dos outros. Historicamente, a psiquiatria foi conivente com o assassinato em massa eugênico na Alemanha nazista e rotulou os manifestantes de direitos civis e dissidentes políticos como psicóticos. Até hoje, continuamos a encarcerar de forma desproporcional pessoas negras e a coagi-las a um tratamento. Além disso, se você é negro, você mais provavelmente morrerá sob medidas restritivas ao receber cuidados de saúde mental do que se você for branco.

Compartilhamos um histórico com a psicologia e a psicoterapia de não apenas ignorar os efeitos de discriminação, mas de apresentar outras culturas como sendo psicologicamente primitivas e lançando as suas abordagens para entender o sofrimento psíquico como superstições atrasadas. Para o Colégio Real de Psiquiatras poder advogar em nome dos mais marginalizados da nossa sociedade, ele deve primeiro colocar a sua casa em ordem e erradicar todos os exemplos de racismo institucional e mentalidade colonial em seus currículos de treinamento e em suas várias diretrizes práticas. Por isso, conclamamos o Colégio Real de Psiquiatras a criar uma comissão independente para examinar todos currículos de treinamento e as diretrizes práticas que o Colégio produz.

Tal força-tarefa deve conter uma diversidade de usuários de serviços e reconhecidos especialistas em racismo institucional e colonialismo.

Esperamos que o Sr. veja isto como nós o vemos; enquanto uma oportunidade ímpar para a nossa geração colocar a psiquiatria na vanguarda no combate ao racismo sistêmico e ao legados malignos do colonialismo na medicina e na sociedade em geral. Estamos divulgando amplamente essa chamada. Pensamos que uma resposta dentro de duas semanas é uma expectativa razoável.

Atenciosamente,

Os nomes abaixo todos pertencem a um dos oito graus de filiação disponíveis no Colégio,

[e seguem os nomes dos signatários da carta.]

———–

  1. Link para a carta completa e no original – https://drive.google.com/file/d/1Ez-gWoaLFRs6crGWSxZjHGKl7yeU0Cq_/view?usp=sharing
  2. Para consultas e entrevistas com a mídia, entre em contato:

Dr Sami Timimi (Consultor da Criança e do Adolescente Psiquiatra e Fellow do Royal College of Psychiatrists) – Telefone: 07733110471; Email: [email protected]

Dr Sushrut Jadhav – [email protected]

Dr. James Rodger – [email protected]