Bebês recém-nascidos sofrem com a retirada de antidepressivos

Um novo estudo revela que bebês recém-nascidos sofrem com a retirada de antidepressivos após o nascimento se suas mães tomam ISRSs durante a gravidez.

0
105

Uma nova metanálise revelou evidências de que os recém-nascidos sofrem abstinência de antidepressivos se suas mães estavam tomando ISRSs durante a gravidez. Como resultado, os pesquisadores recomendam que as mães interrompam o uso de antidepressivos antes da gravidez, se possível.

“Vale a pena tentar evitar a ocorrência desta síndrome antes e durante a fase inicial da gravidez”, escrevem eles.

A pesquisa foi conduzida por Jianjun Wang, na Universidade de Medicina Chinesa de Guangzhou, China, e Fiammetta Cosci, na Universidade de Florença, Itália. Foi publicada em Psychotherapy and Psychosomatics.

Wang e Cosci buscaram estudos sobre a exposição in utero a medicamentos antidepressivos e seu efeito sobre os recém-nascidos. Suas análises incluíram 13 desses estudos. Eles se concentraram em ISRSs (como sertralina, citalopram e fluoxetina) e na venlafaxina SNRI.

Eles identificaram os seguintes sintomas de abstinência em recém-nascidos: hipoglicemia, tremores, hipotonia, hipertonia, taquicardia, respiração rápida, e problemas respiratórios.

Estudos anteriores descobriram que a exposição in utero a antidepressivos estava associada ao nascimento prematuro, defeitos de nascença, problemas de desenvolvimento, problemas cardiopulmonares e até mesmo a morte.

Quão prevalentes são estes efeitos?

Em um estudo citado por Wang e Cosci, foi encontrada uma “síndrome de abstinência neonatal” em 30% dos bebês expostos a antidepressivos, e em nenhum dos bebês que não o foram.

Em conclusão, Wang e Cosci escrevem que as terapias não-farmacológicas, como a terapia cognitivo-comportamental, devem ser usadas para mulheres com depressão que estão grávidas.

Mesmo para aquelas com histórico de múltiplos episódios depressivos, elas escrevem que “tratamentos não-farmacológicos devem ser a primeira escolha, e somente se não forem eficazes ou desejados, os antidepressivos devem ser considerados”.

 

****

Wang, J., & Cosci, F. (2021). Síndrome de abstinência neonatal após exposição tardia no útero a inibidores seletivos de recaptação de serotonina: Uma revisão sistemática e uma meta-análise de estudos observacionais. Psicoterapia e Psicossomática, 90, 299-307. https://doi.org/10.1159/000516031 (Link)