Povo do Reino Unido! O Nosso Monstro Ataca Seus Filhos

0
1080

Peter BregginPais britânicos, prestem atenção!  A praga que começamos aqui nos EUA  está caindo com uma ferocidade implacável sobre os filhos de vocês. Em um período de pouco mais de um ano, 166 mil crianças receberam antidepressivos. Destas, 537 estavam com seis anos de idade ou menos. A taxa geral de aumento foi de 12%.

Apesar dos avisos dados pela sua própria agência de monitoramento de drogas, os médicos estão se tornando mais determinados do que nunca a empurrar drogas psiquiátricas para as crianças na Grã-Bretanha. A desculpa é que existem recursos psicossociais insuficientes em seu sistema de medicina socializada. Isso é verdade, mas não é a razão principal. Em última análise, os psiquiatras têm pouca ou nenhuma auto-restrição para os danos que eles fazem. Eles passam a ser impedidos de drogar e prejudicar as pessoas, incluindo crianças, apenas quando há resistência pública e ações judiciais.

Sabe-se que a maior parte da droga é dada por médicos de cuidados primários e pediatras, em vez de psiquiatras; mas é a minha profissão – a psiquiatria – que trabalha em parceria com o Império Farmacêutico para provocar esta onda de destruição sobre nossos filhos.

Tenho muitos colegas maravilhosos em psiquiatria e psicologia na Grã-Bretanha. Muitos deles estiveram no meu programa de rádio, como o psiquiatra infantil Sami Timimi e a psiquiatra Joanna Moncrieff. Eu não tenho que pedir a eles para saber o quão angustiados eles devem se sentir por esse aumento de crianças sendo drogadas sob os cuidados de sua profissão.

Embora os médicos tenham maneiras de conter esse fenômeno, o único antidepressivo oficialmente aprovado para crianças na Grã-Bretanha é o Prozac. Por que Prozac? Porque o fabricante, Eli Lilly, é o mais inteligente na manipulação de estudos para vender neurotoxinas. E neurotoxinas elas são sempre. Como descrevo no meu livro Psychiatric Drug Withdrawal, todas as drogas psiquiátricas são venenos químicos que prejudicam e danificam a função cerebral. Nenhuma delas melhora ou nutre o cérebro.

Estudos monitorados pela FDA mostraram uma duplicação da taxa de suicídio em crianças em antidepressivos durante experimentos de 4 a 6 semanas. Essa taxa é muito maior na prática clínica em que muitas das crianças já são suicidas, recebendo combinações de drogas, suportando exposições às drogas por períodos muito mais longos, e sendo muito mal monitoradas.

O suicídio induzido por antidepressivos em crianças é bem conhecido e encontrado em avisos dispostos em uma tarja preta – onde estão todas as informações de prescrição para antidepressivos. Por isso, vou me concentrar nos efeitos adversos que mais se espalham pelos cérebros e as mentes das crianças. São desastrosos os resultados para o Prozac e todos os antidepressivos.

Você encontrará estes e muitos outros estudos em www.breggin.com

Ou no meu gratuito site Antidepressant Resource Center, nas seções 1B, 2B e 3B. Todos esses estudos foram conduzidos por psiquiatras líderes das empresas de medicamentos, e que tiveram que admitir esses trágicos resultados:

  • Riddle et al. 1991: 50% das crianças de 8 a 16 anos desenvolveram duas ou mais anormalidades com o Prozac, incluindo agressão, perda de controle de impulsos, agitação e outros sintomas maníacos.
  • King et al. 199114% das crianças com o Prozac se tornaram agressivas ou violentas.
  • Wilens et al. 2003 :21% das crianças com idade média de 12 desenvolveram distúrbios de humor em uma variedade de drogas antidepressivas. Esses distúrbios do humor incluíram irritabilidade (associada à agressão) e depressão. Muitas se tornaram agressivas e muitas desenvolveram distúrbios de ansiedade e sono. Incrivelmente, 6% tornaram-se maníacas e 10% tornaram-se psicóticas.

Se esses médicos possuíssem consciência eles teriam pedido fim à prática de drogar crianças com antidepressivos. Infelizmente ele não hesitam a continuar a os promover.

Evidências científicas indicam que os antidepressivos não ajudam as crianças (veja aqui e aqui). À luz de tais riscos elevados para o bem-estar da criança, esses produtos químicos psiquiátricos estão claramente fazendo muito mais mal do que bem.

Que tipo de sociedade permitiria esse tipo de agressão aos seus filhos? Essa é uma grande questão. Importante, a Psiquiatria e o Império Farmacêutico, bem como o Governo, provavelmente são os maiores responsáveis por essa tragédia. Qualquer um dos três, agindo de maneira ética, poderia pôr fim a esse horror.

Profissionais e cidadãos interessados dos EUA e da Grã-Bretanha devem juntar as mãos e os corações para salvar os nossos filhos. Se não o fizermos, os nossos filhos mais e mais receberão essas drogas; mais e mais desenvolverão efeitos colaterais em suas mentes e manifestarão comportamentais adversos; e mais e mais receberão medicamentos adicionais para controlar os efeitos adversos, levando as crianças a se tornarem consumidores de neurotoxinas prescritas ao longo da vida.

Ao iniciar as crianças em antidepressivos, roubamos-lhes as capacidades para aumentar o potencial delas como seres humanos. Elas nunca saberão quem são realmente ou em quem elas poderiam ter se tornado.