O movimento da Antipsiquiatria

1
4655

Publicado em Truthdig: Na semana passada comemorou-se os 40 anos da revolucionária obra de Franco Basaglia em Trieste, Itália, que levou à inovadora Legge 180 (Lei 180, também conhecida como ‘Lei Basaglia’), que acabou com a prática do confinamento involuntário em asilos em toda a Itália. O movimento da anti-psiquiatria foi parte de um movimento intelectual e profissional bem amplo, promovido através dos trabalhos de Basaglia, Michel Foucault na França, R. D. Laing na Grã-Bretanha, Thomas Szasz nos Estados Unidos e Erving Goffman nos Estados Unidos. Esses pensadores criticaram os poderes legais conferidos aos psiquiatras para deter e tratar indivíduos com transtornos mentais, e que contribuíram para a medicalização da loucura.

Eles também defenderam a noção de que a subjetividade pessoal é independente de qualquer mandato hegemônico de normalidade imposto pela medicina psiquiátrica organizada. Esse movimento até mesmo sugeriu que a doença mental pode não existir de forma alguma fora da linguagem que a enquadra. O trabalho de Basaglia no asilo em Trieste tornou-se um modelo internacional para psiquiatras radicais que vinham trabalhando em seus próprios países para acabar com a institucionalização forçada de pacientes e tentar forjar um novo modelo de atenção de saúde mental.

Artigo →

One-Flew-Over-the-Cuckoos-Nest-1024-850x476

1 COMENTÁRIO

  1. À Comunidade UFBA

    Convidamos a todos para participar do Seminário intitulado “Psiquiatria e suas interfaces: centenário do Prof. Rubim de Pinho”, a ser realizado a partir das 08h30 do dia 22 de fevereiro de 2022, data em que completaria 100 anos, formato remoto.

    A transmissão do evento ocorrerá através do canal da TV UFBA (youtube.tvufba). Maiores detalhes sobre o evento podem ser encontrados no UFBA em Pauta ou na agenda UFBA através do link:

    http://www.agenda.ufba.br/?tribe_events=centenario-do-professor-alvaro-rubim-de-pinho

    Gabinete da Reitoria da UFBA
    Faculdade de Medicina da Bahia