“O Rei Leão” Psiquiatrizado: E se a psiquiatria tivesse colocado as mãos em Simba?

0
275

LawrencePor meio de sites, filmes, escola, governo, autoridades médicas etc., as crianças americanas, e as do mundo em geral, estão sendo doutrinadas com a medicalização da psiquiatria de todos os sentimentos e experiências desagradáveis. A propaganda sobre doenças cerebrais cientificamente comprovadas e seus tratamentos médicos eficazes está no ar que as crianças respiram. E isso fico firmemente enraizado em suas mentes no momento em que elas passam a ser adultas. É por isso que as descobertas claras de Robert Whitaker [1] e de Irving Kirsch [2] sobre as afirmações da psiquiatria não abalaram a crescente fé na medicalização psiquiátrica.

Está na hora de uma nova estratégia. Em vez de se tentar convencer os adultos a questionar suas crenças arraigadas, por que não chegar diretamente às crianças quando ainda não totalmente doutrinadas? Isso pode ser feito criando entretenimento embutido em contrapropaganda, mostrando quão ridículo e prejudicial é o modelo médico no campo da saúde mental. Por exemplo: e se a psiquiatria colocasse as suas mãos em Simba, do filme de 1994 da Disney, O Rei Leão, qual teria sido o resultado?

Cena 1: Mufasa está aborrecido com o hiper / exuberante Simba, repetidamente despertando-o, pela sua desatenção às ordens dadas por ele e pelo Zasu, assim como pelos seus empreendimentos impulsivos e imprudentes em suas aventuras para além da terra natal. Então, a pedido de Scar, Simba é levado para Rafiki, o psiquiatra dos macacos.

Após uma avaliação de 10 minutos, Rafiki proclama: “Eu usei meus poderes místicos para olhar dentro do cérebro de Simba, e vi que ele está permanentemente perturbado devido a uma doença chamada TDAH.” Mufasa então pergunta: “Será que devemos fazer uma varredura do cérebro para confirmar isso? ”Rafiki responde: “ Não, não, não cara. Não vai aparecer nada lá. Somente nós, macacos sábios e de confiança, podemos ver – tenha fé! ”Mufasa se pergunta:“ Como você sabe que o Simba não vai superar isso quando amadurecer? ” Rafiki responde: “Minha bola de cristal me mostrou o futuro dele”. E então a câmara cinematográfica toma como foco uma bola de cristal onde é mostrada uma sala de espera cheia de filhotes de leão sedados, e Rafiki em um grande iate usando um chapéu de capitão.

Rafiki explica a Mufasa: “Como rei, você precisa entender que nós, macacos e leões, existimos juntos em um equilíbrio delicado, como se segue: Nós alvejamos filhotes de leão com dardos tranquilizantes diariamente, a fim de impedi-los de aprender habilidades necessárias para resolver seus próprios desafios. Como eles nunca aprendem a dominar qualquer desafio, eles sempre precisarão voltar para nós para serem atingidos por dardos tranquilizantes diários. Estamos todos conectados neste grande “Círculo de Lucro” e Simba agora deve ocupar o seu lugar nesse círculo. ”

Cena 2: Timon e Pumba trazem seu novo amigo Simba para o Dr. Rafiki porque ele está triste. Depois de uma consulta de dez minutos, Rafiki anuncia: “Nenhum animal normal se sentiria triste apenas porque ele testemunhou seu pai ser espancado enquanto salvava sua vida, é por isso que ele foi exilado para sempre de seus amigos, família e pátria. Então a única maneira de explicar seus sintomas são estas duas palavras …  ”Ele então começa a cantar uma música intitulada ‘Desequilíbrio Químico’ cantada para ‘Hakuna Matata’, com as seguinte letra:“ Desequilíbrio químico! Que frase maravilhosa. Desequilíbrio Químico! Não é loucura alguma passageira. Significa sem sentimentos pelo resto de seus dias. É a maior tirada da história … Desequilíbrio químico!”

Rafiki diz: “Simba tem uma condição médica severa chamada depressão. E ele tem uma história anterior de sintomas maníacos, como rir euforicamente em face do perigo, ideações grandiosas sobre o que ele fará como rei, e ficar a cantar / dançar / viajar / se divertir excessivamente. Então eu o diagnostiquei com transtorno bipolar e seu tratamento agora é … mais tranquilizantes! ”Timon pergunta:“ Existe um exame de sangue para verificar sua bioquímica anormal? ”Rafiki responde:“ Na verdade, nenhum desequilíbrio químico foi encontrado apesar de 60 anos de pesquisa. Mas garanto que estamos muito perto de um avanço científico incrível!”

Cena 3: Nala implora a Simba que retorne para a sua terra natal para retomar seu trono, dizendo: “Os leões zumbificados estão morrendo de fome porque as hienas pararam de compartilhar suas presas com eles devido a uma seca. Muitos leões sofrem de overdose de heroína ou cometem espasmos em massa! ”Simba responde:“ Eu não posso porque que eu perdi a prescrição do dia.” Ele se volta para o espírito de Mufasa para ter um conselho. Mufasa o repreende: “Lembre-se de quem você é – um inválido indefeso e dependente. Você deve aceitar sua doença crônica incapacitante e desistir de uma vez por todas de se tornar algo. É hora de tomar seus remédios”. A câmera então se dirige para Pride Rock, para a apresentação cerimonial de Scar e Rafiki da última maravilha da psiquiatria: uma mistura de Xanax, Adderall, suboxone, ketamina e ecstasy. A música “How to Get High e Die in the Pridelands” toca ao fundo.

A maioria dos filmes da Disney retrata obstáculos sendo superados pela resiliência, desenvoltura e adaptatividade. Da mesma forma, versões psiquiátricas poderiam ser produzidas, a fim de levar a verdade a mais e mais crianças. Vamos levar a mensagem do Mad para um público mais amplo, mais aberto e maleável, antes que os EUA e o resto do mundo entrem em colapso total provocado pelo parasitismo insidioso da psiquiatria. Os adolescentes, em particular, podem raciocinar abstratamente e muitas vezes questionar e se rebelar contra a autoridade (o que provavelmente é o motivo pelo qual eles são os mais rotulados e drogados psiquiatricamente). [3] Eles são, portanto, os que provavelmente serão mais receptivos e interessados em nos ouvir, especialmente porque a maior parte de suas vidas ainda está à frente deles.

Referências:

  1. Whitaker, R. Anatomy of an Epidemic: Magic Bullets, Psychiatric Drugs, and the Astonishing Rise of Mental Illness in America. 2010, Crown Publishers, New York.
  2. Kirsch, I. The Emperor’s New Drugs: Exploding the Antidepressant Myth. 2010, Basic Books, New York.
  3. 2016 National Survey on Drug Use and Health.” Substance Abuse and Mental Health Services Administration.

Deixe uma resposta