Esta Adolescente foi prescrita 10 Drogas Psiquiátricas. Ela não está sozinha …

Matéria do NYT. Cada vez mais, adolescentes ansiosos e deprimidos estão usando múltiplas e poderosas drogas psiquiátricas, muitas delas não testadas em adolescentes ou para uso em conjunto.

0
90

Publicado em The New Yourk Times, edição de doming, 28 de agosto de 2022. Uma reportagem que nos dá uma visão da crescente medicalização psiquiátrica da infância e adolescência. Até quando a assistência em saúde mental estará dominada pelo modelo biomédico da psiquiatria para o tratamento do nosso sofrimento psíquico?

“Uma manhã, no outono de 2017, Renae Smith, uma caloura do ensino médio em Long Island, N.Y., não conseguiu sair da cama, esmagada com a perspectiva de ir à escola. Nos dias seguintes, a ansiedade dela aumentou em desespero.

” ‘Eu deveria ter ficado feliz’, escreveu ela mais tarde. ‘Mas eu chorava, gritava e implorava ao universo ou qualquer que fosse o poder divino para tirar a dor de mil homens que estava preso dentro de minha cabeça’ “.

“A intervenção para a sua depressão e ansiedade não veio do divino, mas da indústria farmacêutica. Na primavera seguinte, um psiquiatra prescreveu Prozac. O medicamento oferecia uma remissão de seu sofrimento, mas o efeito se dissipou, então lhe foi prescrito um antidepressivo adicional, Effexor.

“Havia começado uma cascata de medicamentos. Durante 2021, ano em que ela se formou, foram-lhe prescritos sete medicamentos. Entre eles, um para convulsões e enxaquecas – ela não teve nenhuma, mas o medicamento também pode ser usado para estabilizar o humor – e outro para amortecer os efeitos colaterais dos outros medicamentos, embora seja usado principalmente para esquizofrenia. Ela se sentia melhor alguns dias, mas profundamente triste por outros.

“Ela passara a exemplificar uma prática médica comum em sua geração: o uso simultâneo de múltiplos medicamentos psiquiátricos pesados.

“Psiquiatras e outros clínicos enfatizam que as drogas psiquiátricas, devidamente prescritas, podem ser vitais para estabilizar adolescentes e salvar a vida de adolescentes suicidas. Mas, esses especialistas advertem, tais medicamentos são muito facilmente consumidos, muitas vezes como uma alternativa fácil à terapia que as famílias não podem pagar ou encontrar, ou não estão interessadas.

“Esses medicamentos, geralmente destinados ao uso a curto prazo, às vezes são prescritos por anos, embora possam ter efeitos colaterais graves – incluindo episódios psicóticos, comportamento suicida, ganho de peso e interferência no desenvolvimento reprodutivo, de acordo com um estudo recente publicado em Frontiers in Psychiatry.”

Confira a matéria na íntegra → 

 

 

 

 

 

 

 

[trad. e edição Fernando Freitas]