‘É Vida ou Morte’: A Crise da Saúde Mental entre Adolescentes dos EUA

A depressão, a automutilação e o suicídio estão aumentando entre os adolescentes americanos. Jornalista estadunidense passou mais de um ano entrevistando adolescentes e suas famílias para esta série sobre a crise de saúde mental publicada no NYT.

0
397

Matéria escrita por Matt Richtel, publicada no The New York Times, em 24 de abril de 2002:

“A adolescência americana está passando por uma mudança drástica. Há três décadas, as mais graves ameaças à saúde pública para os adolescentes nos Estados Unidos vinham do consumo excessivo de álcool, do dirigir embriagado, da gravidez na adolescência e do tabagismo. Desde então, essas ameaças caíram acentuadamente, substituídas por uma nova preocupação de saúde pública: o aumento das taxas de transtornos mentais.”

“Em 2019, 13% dos adolescentes relataram ter um episódio depressivo importante, um aumento de 60% em relação a 2007. As visitas de crianças e adolescentes a salas de emergência nesse período também aumentaram acentuadamente por causa de ansiedade, transtornos de humor e autoflagelação. E para pessoas de 10 a 24 anos, as taxas de suicídio, que permaneceram estáveis de 2000 a 2007, saltaram quase 60% até 2018, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças.”

“O declínio da saúde mental entre os adolescentes foi intensificado pela pandemia de Covid, mas é anterior a ela, abrangendo grupos raciais e étnicos, áreas urbanas e rurais e a divisão socioeconômica. Em dezembro, em uma rara consulta pública, as autoridades americanas advertiram sobre uma crise “devastadora” de saúde mental entre os adolescentes. Numerosos grupos hospitalares e médicos a chamaram de emergência nacional, citando níveis crescentes de doenças mentais, uma grave carência de terapeutas e de opções de tratamento, e uma pesquisa insuficiente para explicar a tendência.”

” ‘Os jovens são mais instruídos; menos propensos a engravidar, usar drogas; menos propensos a morrer por acidente ou lesão”, disse Candice Odgers, psicólogo da Universidade da Califórnia. Em muitos marcadores, as crianças estão se saindo bem e prosperando. Mas há estas tendências realmente importantes na ansiedade, depressão e suicídio que nos impedem de seguir o nosso caminho’ “.

Você quer entender o que está ocorrendo nos Estados Unidos? Há semelhanças aqui no Brasil?   Confira a matéria em sua íntegra →

Photograph by Annie Flanagan (NYTimes)