Mad no Reino Unido

0
42

mitukHoje, quinta-feira, 6 de setembro, vem o culminar de muitos meses de esforços ‘nos bastidores’ com o lançamento de Mad in the UK. O MITUK é um de um número crescente de sites afiliados ao MIA, incluindo Mad in America Hispano-Hablante, Mad in Asia, Mad in Brasil e Mad in Finland.

Agindo em conjunto com o MIA (Mad in America), Mad no Reino Unido disponibilizará conteúdo específico do Reino Unido e dará voz aos profissionais, sobreviventes, militantes, cuidadores, pesquisadores, professores, treinadores, advogados, jornalistas, voluntários e outros que trabalham para a mudança no campo do que é geralmente referido como ‘saúde mental’.

O MITUK acredita que o atual paradigma de cuidados em saúde mental baseado em diagnósticos fracassou de forma abrangente, como indicado pela falta de evidências para seus princípios centrais, o número crescente daqueles diagnosticados como ‘doentes mentais’ e a crescente preocupação com o fracasso de muitos ‘tratamentos’ para ajudar as pessoas a se recuperarem. MITUK, juntamente com muitos outros, acredita que o futuro está em alternativas não médicas que explicitamente reconheçam o papel causal de conflitos sociais e relacionais, abusos, adversidades e as injustiças. Fazemos campanha por uma mudança no discurso profissional e público sobre o sofrimento emocional e experiências incomuns; para apoio, dentro e fora dos serviços, que atenda às reais necessidades das pessoas; e para a política social que trata das causas do sofrimento psíquico em suas raízes. O MITUK será um espaço voltado para discussões críticas, campanhas e ações. Além disso, o MITUK fornecerá links para muitos outros recursos, projetos e organizações que também estão desenvolvendo caminhos positivos.

O coletivo MITUK

MITUK é publicado por um coletivo, com James Moore como elo técnico para MIA. O coletivo é atualmente composto por 10 pessoas com origens e interesses variados e sobrepostos. 7 de nós têm experiência de sobrevivência e 5 de nós têm antecedentes profissionais em saúde mental (e alguns têm os dois). No entanto, esperamos que nossas discussões vão além de um conjunto de dicotomias que raramente refletem a realidade complexa, como sobreviventes X profissionais, quem toma X quem não está tomando drogas psiquiátricas, os que trabalham dentro X os que estão fora dos serviços, psicólogos X  psiquiatras, e assim por diante. A comunidade do MITUK provavelmente variará de acordo com o tempo, energia e outros compromissos.

Nossa posição básica com relação ao ‘modelo biomédico’ e à prática baseada em diagnósticos é clara e orientará nosso conteúdo e blogs. A grande maioria das fontes de informação apóia o paradigma existente, sendo o comum que as pessoas tenham ‘carreiras psiquiátricas’ ao longo de suas trajetórias de vida – enquanto usuários e profissionais de saúde -, sem receber críticas ou alternativas. Se a escolha informada significa qualquer coisa, o que se apresenta como ‘fatalidade’ precisa mudar. Uma vez que esperamos facilitar discussões construtivas em todas as áreas, ocasionalmente publicaremos mais perspectivas gerais para debate. Estamos conscientes de que estas são questões muito emotivas e as discussões resultantes podem ser perturbadoras para todas as partes. Nós nos esforçaremos para promover um debate respeitoso, livre de discriminação, abuso ou ataque pessoal, moderando os comentários do blog e outros espaços de discussão proativamente. (Veja nossas orientações para comentários.) Também promoveremos as artes criativas, incluindo teatro, poesia, desenhos animados e obras de arte.

A longa experiência ensinou a muitos de nós que o mero ato de questionar as ortodoxias atuais, oferecer alternativas ou discordar de figuras importantes, pode resultar em reações adversas. Prevemos que este site estará sujeito às mesmas reações – na verdade, algumas deles foram perceptíveis mesmo antes do lançamento. Acreditamos que todos têm o direito de opinar sobre essas questões controversas. Acreditamos igualmente que pouquíssimas pessoas recebem informações suficientes para uma avaliação completa dos argumentos. Além disso, deploramos a tendência preocupante de sugerir, ou às vezes dizer abertamente, que as visões que desafiam o status quo não devem ser expressas de maneira alguma. Este silenciamento pode assumir várias formas, distorcendo os argumentos ou implacável trollagem ou atribuindo-lhes à ambição pessoal / profissional e malícia, a alegar que essas visões são intrinsecamente prejudiciais, envergonhando, atacando ou sendo abusivas. Isso pode resultar em alguns paradoxos curiosos. Por exemplo, se você passar muito tempo em mídias sociais, poderá acabar com a impressão de que as pessoas em todo o país estão sendo privadas de seus diagnósticos, independentemente de suas preferências e necessidade de acesso aos serviços. A verdade é que virtualmente a ninguém é oferecido uma alternativa para a prática diagnóstica vigente, e quem protesta com a imposição dessas categorias está em risco de punição por sua ‘falta de discernimento’. Enquanto isso, os danos geralmente causados pela prática psiquiátrica de rotina continuam e até aumentam. A figura muito citada de “1 e 4” experimentando ‘doença mental’ está caminhando em direção a 4 em 4, e, em uma tendência similar, as prescrições das drogas psiquiátricas estão aumentando sem diminuição da ‘epidemia’ das várias formas de sofrimento. Algo está muito errado!

Nesta turbulência às avessas, à medida que um paradigma entra em colapso e novos surgem, a MITUK está empenhado em dizer a verdade tal como a vemos, independentemente da controvérsia. Estamos em um momento histórico na história da psiquiatria, com uma oportunidade única de ajudar a moldar um futuro melhor. Congratulamo-nos com o seu interesse, comentários e contribuições.

Se você estiver interessado em escrever um blog para Mad no Reino Unido, leia nossas diretrizes de envio aqui.

Você pode ler nossa declaração da nossa linha editorial aqui.

.  .  .

[É com grande satisfação que vemos que a nossa comunidade do Mad cresce, que ganha cada vez mais dimensões globalizadas. Agora com o Mad in UK. E reiteramos a importância que nós da comunidade brasileira contribuamos para fortalecer a perspectiva de busca de alternativas ao ‘modelo biomédico’ hoje dominante na assistência em saúde mental, no Brasil e no mundo em geral. Envie suas contribuições para [email protected]

Quinzenalmente, postagens originais serão veiculadas no site do Mad in America e no Mad in the UK.

Editores do Mad in Brasil]

 

Deixe uma resposta