ESPECIALISTAS INTERNACIONAIS REIVINDICAM SERVIÇOS PARA APOIAR MILHÕES QUE TENTAM DEIXAR AS DROGAS PSIQUIÁTRICAS

0
87

Carta de Gotemburgo

 29/9/2019

Atualmente, milhões de pessoas em todo o mundo estão tentando abandonar os medicamentos psiquiátricos, mas consideram isso ser extremamente difícil, por causa dos efeitos de abstinência que são frequentemente graves e persistentes, e porque há tão pouco apoio disponível para a retirada dos medicamentos de maneira lenta e segura.

Os 40 especialistas internacionais que compareceram à reunião deste fim de semana (final de setembro de 2019) do Instituto Internacional de Retirada de Drogas Psiquiátricas (www.iipdw.org) votaram a favor das recomendações da recente revisão da Public Health England [PHE] sobre‘Dependência e abstinência associada a medicamentos prescritos’ e comprometeram-se a tentar implementá-las nos 15 países de onde são e nos demais países. Essas recomendações incluem:

  1. Melhoria da orientação clínica e a probabilidade de ser seguida.
  2. Melhorar as informações para pacientes e prestadores de cuidados acerca dos medicamentos prescritos e aumentar a escolha informada e a tomada de decisão compartilhada entre médicos e pacientes.
  3. Melhorar o suporte disponível do sistema de saúde para pacientes com dependência ou retirada dos medicamentos prescritos.
  4. Mais pesquisas sobre a prevenção e tratamento da dependência e retirada dos medicamentos prescritos.

Os participantes concordaram que, além de antidepressivos e benzodiazepínicos, outras drogas psicoativas, por ex. antipsicóticos, devem ser incluídas. Eles também concordaram com a PHE que: ‘o objetivo é garantir que nosso sistema de saúde desenvolva consciência e aprimore a tomada de decisões para melhor tratamento e apoio ao paciente. Essas recomendações são apenas o começo. Todas as partes do sistema de saúde e a população em geral precisarão se envolver com esse problema complexo e trabalhar juntas para encontrar soluções ‘.

A reunião decidiu realizar uma grande conferência internacional na Islândia em 2020.

A organizadora da reunião, Dra. Carina Håkansson (Psicoterapeuta, Suécia), comentou:

“Todas as nossas esperanças foram superadas. Muitos planos, locais e internacionais, surgiram desse encontro de especialistas e ativistas inspirados. Chegou claramente a hora de se mudar esta questão.” [email protected]

Os participantes comentaram:

“As drogas psiquiátricas destruíram 10 anos da minha vida. Estou tão feliz que finalmente estamos abordando esta questão de como parar com esses medicamentos, que afetam literalmente milhões de pessoas.” Olga Runciman, Dinamarca (psicóloga, membro do Conselho do IIPDW) +45 27851003, [email protected]

“Os médicos devem poder prescrever as ‘tiras de afunilamento medicação’ que demonstrei na reunião, que são necessárias para se parar com segurança o uso dos medicamentos psiquiátricos. Isso é crucialmente importante ‘. Dr. Peter Groot, Holanda (Hospital Universitário da UMC, Utrecht) +31 622290233 [email protected]

“Como psiquiatra do NHS, sei quantas vidas são arruinadas por excesso de medicação. Precisamos reconhecer que existem alternativas mais poderosas e menos prejudiciais.” Dr. Rex Haigh, Reino Unido (Berkshire) +44 7768 546983 [email protected]

“O forte compromisso durante todo o fim de semana, de pesquisadores, clínicos e pessoas com experiência em drogas psiquiátricas, foram momentos inspiradores. A negação e minimização dos danos que a psiquiatria e as empresas farmacêuticas produzem não prevalecerão mais em nossa sociedade”. Professor John Read, Reino Unido (Universidade de East London, Membro do Conselho do IIPDW) +44 7944 853 783 [email protected]

MISSÃO

O Instituto Internacional para Retirada de Drogas Psiquiátricas (IIPDW) foi criado para responder a uma necessidade flagrante de saúde mental: desenvolver maneiras de ajudar as pessoas a se afastarem dos medicamentos psiquiátricos.

A saúde mental falhou em fornecer apoio às pessoas que desejam reduzir ou retirar seus medicamentos psiquiátricos. Frequentemente, as pessoas simplesmente ouvem que é uma má ideia e, por conseguinte, tentam reduzir ou deixar de tomar esses medicamentos sem o apoio de que precisam.

De fato, os medicamentos psiquiátricos são prescritos há 60 anos; há poucas pesquisas sobre como retirar esses medicamentos. A maioria dos estudos de abstinência realizados envolveu abstinência abrupta dessas drogas e, mesmo em estudos em que os medicamentos foram retirados mais gradualmente, não houve esforço para identificar os suportes necessários.

A missão do nosso Instituto é reunir conhecimento e dados de pesquisa baseados na prática para que essa lacuna seja preenchida. Nosso objetivo é reunir esse conhecimento e disseminá-lo para pacientes, familiares, profissionais da assistência, organizações profissionais e por toda a sociedade.

NOSSOS OBJETIVOS

  • Desenvolver pesquisas e conhecimentos baseados na prática que facilitem a redução e a retirada seguras de medicamentos psiquiátricos.
  • Contribuir para práticas baseadas em evidências para redução e abstinência de medicamentos psiquiátricos e facilitar sua inclusão nas diretrizes de prática geral.
  • Apoiar o direito humano à escolha informada em relação aos medicamentos psiquiátricos.
  • Promover práticas que ajudem famílias, amigos e profissionais a apoiar a redução e a retirada seguras de medicamentos psiquiátricos, levando em consideração os aspectos relacionais e sociais essenciais para esse processo.

Deixe uma resposta