Kit de sobrevivência em saúde mental e retirada das drogas psiquiátricas

O novo livro de Peter C. Gøtzsche.

0
222

Você é paciente psiquiátrico?  Você é um profissional de saúde mental?  Sendo dependente do tratamento psiquiátrico, você tem interesse em deixar de ser paciente psiquiátrico? Sendo profissional de saúde mental, você quer saber como é possível um paciente psiquiátrico ou usuário dos serviços de assistência em saúde mental deixar de ser dependente da psiquiatria?

Mental health survival kit and withdrawal from psychiatric drugs, é um livro que acaba de ser lançado, onde você irá encontrar um material precioso para ajudar a planejar e acompanhar esse processo de libertação da psiquiatria. Seu autor é o dinamarquês Peter C. Gøtzsche, um dos mais renomados cientistas da atualidade no campo da saúde.

O professor Peter C. Gøtzsche escreveu este livro para ajudar as pessoas com problemas de saúde mental a sobreviver e a voltar à vida normal. O público em geral acredita que os medicamentos contra a depressão e a psicose são mais prejudiciais do que benéficas, e é também isso o que a ciência mostra. Mesmo assim, a maioria das pessoas continua tomando medicamentos psiquiátricos por muitos anos. Isso ocorre principalmente porque elas desenvolveram uma dependência às drogas.

Os psiquiatras e outros médicos tornaram centenas de milhões de pessoas dependentes de drogas psiquiátricas e, no entanto, não fazem nada na prática para descobrir como ajudá-las a sair das drogas com segurança, na medida em que esse processo pode ser muito difícil. As diretrizes oficiais em todo o mundo sobre como diminuir as drogas psiquiátricas são insuficientes, enganosas e perigosas. Como resultado, os pacientes encontram soluções por conta própria e aconselham outros pacientes a parar com segurança nas comunidades de sobreviventes da abstinência e da psiquiatria.

O livro de Gøtzsche explica em detalhes como as drogas psiquiátricas são nocivas e é dito às pessoas como elas podem se retirar delas com segurança. Também aconselha sobre como as pessoas com problemas de saúde mental podem evitar a fazer a ‘carreira’ enquanto paciente psiquiátrico e perder 10 ou 15 anos de sua vida para a psiquiatria.

“O termo ‘sobrevivente psiquiátrico’ diz tudo isso em apenas duas palavras. Em nenhum outra especialidade médica os pacientes chamam a si mesmos de sobreviventes no sentido de que eles sobreviveram apesar de serem expostos a essa especialidade. Eles construíram o seu caminho fora de um sistema que raramente é útil e que muitos sobreviventes têm descrito como experiência de aprisionamento psiquiátrico ou como estando em uma instituição onde há uma porta de entrada, mas não uma porta de saída. Em outras especialidades médicas, os pacientes agradecem por terem sobrevivido devido aos tratamentos que seus médicos aplicaram neles. Nós nunca ouvimos falar em um sobrevivente da cardiologia ou de um sobrevivente de uma doença infecciosa. Se você sobreviveu a um ataque cardíaco, você não é tentado a fazer o oposto do que seu médico recomenda. Na psiquiatria, você pode morrer se fizer o que seu médico manda você fazer.” (p.8)

Infelizmente, no Brasil não há movimentos de ex-usuários ou de sobreviventes da psiquiatria organizados, embora o processo de reforma psiquiátrica brasileira conte com movimentos de usuários organizados. A perspectiva é que na medida em que os usuários e os profissionais de saúde mental tenham acesso a informações e evidências, como as que o Dr. Peter Gøtzsche sistematicamente nos traz em seus artigos científicos e livros, as condições para se libertarem do modelo biomédico da psiquiatria estarão melhor disponíveis para todos. Como diz o Dr. Peter Gøtzsche neste seu último livro:

“Muitos sobreviventes psiquiátricos descrevem como a psiquiatria, com o seu uso excessivo de drogas nocivas e ineficazes, havia roubado 10 ou 15 anos de suas vidas, antes que um dia decidissem assumir ter de volta a responsabilidade por suas vidas que estava entregue aos seus psiquiatras e que descobrissem que a vida é muito melhor sem drogas.” (p.8)

Finalmente, há algo mais que se deve ter em nossa mente de forma muito clara. Como qualquer processo de libertação, se libertar de um tratamento psiquiátrico que lhe está sendo nocivo não é um feito alcançado de um dia para o outro.  Nesse sentido, as palavras do Dr. Peter Gøtzsche merecem ficar em destaque:

“A maioria das pessoas tem problemas de saúde mental de vez em quando, assim como elas têm problemas com a sua saúde física. Não há nada anormal nisso. Ao longo deste livro, darei conselhos com base nas evidências científicas que tenho boas razões para acreditar que levará a melhores resultados do que se o meu for ignorado. Mas observe que, o que você faz e seja qual for o resultado, você não pode me responsabilizar. As informações que eu forneço não são um substituto para consultas com profissionais de saúde, mas pode capacitá-lo a participar de discussões significativas e informadas ou a decidir para resolver os problemas você mesmo.” (p. 10).

—-

Para adquirir o livro:

Vá à conta do Peter C. Gøtzsche,  GoFundMe , faça a doação de DKK150 (equivalente R$ 114,36) e escreva o endereço do seu email no campo da mensagem.