Yoga eficaz para sintomas depressivos

Uma metanálise recente encontra fortes evidências de que o yoga reduz os sintomas depressivos em pessoas diagnosticadas com uma ampla gama de "transtornos mentais".

0
138

Um novo estudo, publicado no British Journal of Sports Medicine, investiga o efeito da prática de yoga nos sintomas associados à depressão. A grande revisão sistemática e metanálise, que revisaram dados de mais de 1.600 participantes, mostraram maior redução nos sintomas depressivos entre aqueles que praticavam yoga em comparação com lista de espera, tratamento como de costume ou grupos de controle.

“Existe uma clara necessidade de intervenções eficazes para melhorar a atividade física e os sintomas depressivos e intervenções no estilo de vida de componentes múltiplos que incorpora uma combinação desde atividade física, exercício e dieta. As diretrizes de tratamento para transtornos mentais das principais organizações internacionais agora recomendam a integração de intervenções baseadas em atividade física como parte dos cuidados psiquiátricos de rotina”, escrevem os pesquisadores, liderados por Jacinta Brinsley, da Universidade do Sul da Austrália.

Pesquisas sugerem que um número crescente de pessoas em todo o mundo está procurando tratamento para sintomas depressivos. Enquanto a Associação Americana de Psiquiatria sugere psicofármacos como o tratamento de primeira linha para a depressão, os pesquisadores têm regulamente sugerido que a atividade física e as intervenções no estilo de vida podem ser uma opção mais eficaz e segura.

O yoga, uma prática com raízes na filosofia oriental, tornou-se uma forma cada vez mais popular de exercício no Ocidente. Como a prática é uma “prática corpo-mente multicomponente que inclui posturas físicas, movimento, atenção e meditação”, ela inclui exercícios, controle da respiração e atenção plena, todas as práticas que foram encontradas para reduzir os sintomas depressivos nas populações clínicas e não clínicas.

Em conjunto, essas práticas podem ter efeitos maiores do que individualmente. Além disso, os autores desta revisão mais recente sugerem que o yoga pode aumentar a aderência ao exercício para aqueles que lutam com a sintomatologia depressiva, uma barreira comum para experimentar possíveis resultados.

Embora a pesquisa apoie o yoga como um tratamento promissor para a depressão, “os transtornos depressivos são altamente comórbidos com outros transtornos mentais”. Isso significa que as pessoas diagnosticadas com uma ampla gama de ‘transtornos mentais’ frequentemente relatam simultaneamente os sintomas associados à depressão. Nenhum estudo investigou previamente os efeitos do yoga em grupos de pessoas com diferentes diagnósticos psiquiátricos.

Os autores da atual meta-análise e revisão sistemática tentaram determinar os efeitos do yoga nos sintomas depressivos em pessoas diagnosticadas com qualquer diagnóstico de saúde mental. Eles também identificam os principais aspectos de uma prática de ioga associada a melhorias.

Depois de revisar 3.880 registros, os pesquisadores incluíram 19 estudos elegíveis, 13 que relataram alterações na sintomatologia depressiva. Todos os estudos incluídos na revisão foram ensaios clínicos controladas aleatoriamente (ECRs) realizados com populações adultas atualmente diagnosticadas com um ‘transtorno de saúde mental’ de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais(DSM).

Os resultados da revisão demonstram que o yoga tem um efeito moderado na sintomatologia depressiva em comparação com todos os grupos de lista de espera e de controle nos distúrbios de saúde mental.

Com base na análise de subgrupos, o yoga foi mais eficaz para aqueles com diagnóstico de ‘transtornos depressivos’ e ‘esquizofrenia’ em comparação com ‘transtorno de estresse pós-traumático’ (PTSD) e ‘transtornos por uso de álcool’. Embora a revisão não tenha conseguido tirar conclusões sobre os efeitos secundários da saúde física do yoga, devido a uma quantidade insuficiente de dados, vários estudos sugeriram maior força e flexibilidade após o yoga, além de melhorar a saúde física geral.

Alguns dos estudos incluídos na revisão demonstraram taxas de remissão significativas entre aqueles que praticavam ioga, incluindo um estudo que relatou que mais de 50% dos participantes não preenchiam mais os critérios para TEPT após a intervenção do ioga.

Os autores enfatizam que o número de sessões de yoga por semana foi um moderador notável dos efeitos do yoga na depressão.

“Houve uma relação dose-resposta entre o número de sessões de ioga por semana e melhorias nos sintomas depressivos”, escrevem Brinsley e colegas. “Esta é uma descoberta importante … As intervenções devem ter como objetivo aumentar a frequência de suas sessões por semana, em oposição à duração de cada sessão ou à duração geral da intervenção”.

Enquanto o estudo destaca o potencial do yoga como uma opção positiva para o tratamento da sintomatologia depressiva em vários “distúrbios da saúde mental”, Brinsley e seus colegas enfatizam a necessidade de padronização entre os componentes do yoga, a fim de examinar quais componentes são mais significativos para as mudanças. Os autores concluem:

“A consideração do yoga como uma modalidade de exercício baseada em evidências, as lado das formas convencionais de exercício, é garantida, dados os resultados positivos desta revisão. O yoga pode fornecer uma estratégia adicional ou alternativa para envolver as pessoas que sofrem de depressão em atividades físicas significativas. ”

****

Brinsley, J., Schuch, F., Lederman, O., Girard, D., Smout, M., Immink, M. A., … & Rosenbaum, S. (2020). Effects of yoga on depressive symptoms in people with mental disorders: a systematic review and meta-analysis. British Journal of Sports Medicine. doi:10.1136/ bjsports-2019-101242 (Link)