Pesquisadores sugerem experiências traumáticas que podem causar sintomas psicóticos

Um novo estudo na JAMA Psiquiatria investiga a relação entre o trauma e as experiências psicóticas.

0
402

Nova pesquisa publicada na JAMA Psychiatry examina a associação entre experiências traumáticas e o desenvolvimento da psicose. Os autores deste grande estudo sugerem que o trauma pode ter uma associação causal com as experiências psicóticas.

“Os resultados são consistentes com a tese de que o trauma pode ter uma associação causal com experiências psicóticas”, escreve a equipe de pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Bristol, no Reino Unido.

“Este estudo indica que, assumindo que a associação é precisa e causal, uma proporção substancial (25%-60%, consistente com as estimativas anteriores) dos participantes não teria desenvolvido experiências psicóticas se não tivessem sido expostos a experiências traumáticas durante a infância”.

Pesquisas anteriores descobriram que a exposição ao trauma na infância está associada a um aumento de 2 a 3 vezes no risco de experiências psicóticas e que este risco é ainda mais elevado com a presença de múltiplos tipos de trauma. Relativamente, outras pesquisas sugeriram que as condições sociais da comunidade e haver sido vítima de violência pessoal estão significativamente associadas a experiências psicóticas na adolescência. Além disso, a presença de violência adulta e infantil tem demonstrado ter uma associação com um risco maior de experiências posteriores de sintomas psicóticos. Descobertas adicionais identificam um período sensível ou crítico de risco durante o qual a exposição ao trauma está associada de forma única a experiências psicóticas.

Para preencher as lacunas da literatura atual, a presente pesquisa teve como objetivo analisar os diferentes efeitos de diferentes tipos de trauma, ao mesmo tempo em que se considera a idade de desenvolvimento, a frequência de exposição e as variáveis de confusão podem estar associadas a experiências psicóticas.

Para examinar se a idade de exposição e tipos de trauma específicos estão associados de forma diferente ao risco de desenvolver experiências psicóticas, os autores utilizaram dados do Estudo longitudinal Avon de pais e filhos (ALSPAC) e extraíram uma amostra de 4433 crianças. As experiências psicóticas foram avaliadas utilizando a entrevista semiestruturada de sintomas semelhantes à psicose (PLIKSi), que foi administrada aos 12 e 18 anos de idade. O trauma foi avaliado por 121 itens referentes a eventos traumáticos e um questionário suplementar preenchido aos 22 anos de idade para captar abuso sexual, negligência emocional e abuso físico. As variáveis capturadas como fatores de risco incluem: histórico psiquiátrico, risco genético de esquizofrenia, uso de drogas, histórico criminal, renda, fumo durante a gravidez, estado civil e condições de vida.

Oitenta e três por cento dos participantes com experiências psicóticas aos 18 anos de idade relataram exposição a traumas contra 62% dos que não tiveram experiências psicóticas. A exposição a qualquer trauma sofrido até os 17 anos de idade foi associada ao aumento das chances de experiências psicóticas aos 18 anos de idade. Não surpreendentemente, a exposição a mais tipos de trauma entre o nascimento e os 17 anos foi associada com o aumento das experiências psicóticas.

Ter experimentado três ou mais tipos de traumas entre o nascimento e os 17 anos foi associado a um aumento de 4,7 vezes nas probabilidades de ter uma experiência psicótica. Os pesquisadores determinaram que todos os tipos de traumas experimentados entre o nascimento e os 17 anos de idade aumentaram as chances de experiências psicóticas e que a probabilidade de experiências psicóticas foi maior quando o trauma foi experimentado durante a adolescência.

Em geral, este estudo melhora nossa compreensão do impacto que o trauma tem sobre a probabilidade de ter experiências psicóticas. Os autores concluem que a exposição a experiências traumáticas durante a infância e a adolescência está associada ao desenvolvimento de experiências psicóticas no início da vida adulta.

Além disso, os autores propõem que seu estudo estabeleça uma associação causal entre o trauma e as experiências psicóticas. Continuam sugerindo que os mecanismos da associação entre trauma e experiências psicóticas são dependentes da severidade, cronicidade e repetição da exposição.

****

Croft, J., Heron, J., Teufel, C., Cannon, M., Wolke, D., Thompson, A., … & Zammit, S. (2018). Association of Trauma Type, Age of Exposure, and Frequency in Childhood and Adolescence with Psychotic Experiences in Early Adulthood. JAMA Psychiatry(Link)