Maconha não agrava risco de psicose em jovens com o transtorno

0
290

No dia 25 de agosto de 2023 foi publicado através do jornal Correio Braziliense a reportagem Maconha não agrava risco de psicose em jovens com o transtorno, que através de um estudo demonstra ao contrário do que era tido como senso comum na sociedade médica, a Cannabis não desencadeia crises de psicose em pessoas com o transtorno.

A reportagem fala sobre um estudo realizado por uma equipe de pesquisadores da Universidade Hofstra (Nova York), e da Universidade Stanford (Califórnia), o estudo aponta que o uso regular da Cannabis não desencadeia crises psicóticas em jovens com alto risco de desenvolver o transtorno. O relatório foi publicado em 15 de agosto na revista Psychiatry Research

A pesquisa demonstra que o grupo de pesquisadores avaliou a relação entre o uso da Cannabis e os resultados na saúde em adolescentes com alto risco clínico de psicose. Os participantes do estudo foram acompanhados por dois anos. Os pesquisadores relataram que os indivíduos que faziam o uso da Cannabis não tinham mais probabilidade de se tornarem psicóticos do que os não usuários, ao contrário do que era pensado até então pela sociedade médica.

“O uso contínuo de Cannabis ao longo de 2 anos de acompanhamento não foi associado a um aumento na taxa de transição de psicose e não piorou os sintomas clínicos, os níveis de funcionamento ou a neurocognição geral, indicando que os jovens com CHR [alto risco clínico] não são impactados negativamente pela Cannabis. Estas descobertas devem ser confirmadas em ensaios clínicos futuros com amostras maiores de indivíduos consumidores de Cannabis, concluíram os autores.

As descobertas são semelhantes a de uma pesquisa publicada em abril na revista Psychiatry and Clinical Neurosciences. Onde o estudo também não conseguiu identificar o consumo da Cannabis como um fator de risco para psicose em indivíduos clinicamente em risco.

“… não houve associação significativa com qualquer medida de consumo de Cannabis. Estas descobertas não são consistentes com os dados epidemiológicos que ligam o consumo de Cannabis a um risco aumentado de desenvolver psicose.”, concluíram os pesquisadores.

No entanto, um estudo espanhol recente identificou um risco aumentado de desenvolvimento de uma perturbação de saúde mental entre os jovens admitidos em tratamento para o transtorno por uso de Cannabis.

Já em contrapartida, um estudo brasileiro menciona que “a Cannabis Sativa é considerada bastante eficaz e que serve como apoio para medicamentos, onde promove uma melhora assídua, baixos efeitos colaterais, se comparada a medicamentos já utilizados. E com base nas atualizações recentes sobre os produtos à base de Cannabis Sativa, sugere-se o acompanhamento do uso e eficácia terapêutica a longo prazo desses produtos, para respaldar o emprego das substancias derivadas da espécie pela população brasileira.”