Menopausa: Como a Cannabis Medicinal pode Auxiliar as Mulheres

0
74

No dia 07 de janeiro de 2024, através do site IG Delas, foi divulgada a matéria sobre  menopausa, um estágio natural na vida de todas as mulheres e que marca a transição do período fértil para o não reprodutivo, ocorrendo por volta dos 50 anos. No entanto, vale ressaltar que pode acontecer antes ou depois dos 50 anos, é uma questão singular de mulher para mulher, dependendo de cada organismo.

 

A matéria aponta que na busca de propriedades que são eficazes para a redução da ansiedade, dores e mudanças hormonais associadas à menopausa, é utilizado o canabidiol (CBD), que é um composto natural e não-psicoativo que pode ser utilizado no tratamento destas condições, e assim melhorar a qualidade de vida de mulheres na fase da menopausa.  Seu uso traz também maior qualidade no sono, outro desafio comum nesta fase da vida, e consequentemente, melhorando a rotina diária desta mulher.

“O uso da cannabis medicinal pode auxiliar as mulheres que estão na menopausa de diversas formas. O CBD age no sistema endocanabinóide ajudando a modular a resposta a desconfortos causados pela diminuição dos níveis de estrogênio e progesterona no corpo, auxiliando no alívio em inflamações e na melhora no sono”, explica José Manzi, Diretor Médico da Simples Cannabis, empresa que auxilia e facilita a importação dos melhores medicamentos canábicos junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Sendo uma alternativa natural e eficaz para atenuar os “sintomas”, o uso do CBD por mulheres nesta fase foi testado e trouxe resultados positivos. Um estudo feito por Harvard em 2022, com 131 mulheres na perimenopausa, período que antecede a menopausa, e 127 que já haviam passado pela condição, revelou que o alívio dos sintomas foi reportado por 79% das participantes.

A conexão entre a cannabis e o tratamento da menopausa não se resume apenas às condições físicas, mas também de forma benéfica para a saúde mental das mulheres, com a diminuição da ansiedade e de alterações de humor. “As propriedades ansiolíticas e antidepressivas do CBD ajudam a combater sintomas emocionais comuns no período da menopausa, como a ansiedade, irritabilidade e possíveis mudanças de humor. A melhora no sono também está inclusa neste pacote, visto que distúrbios do sono afetam frequentemente mulheres nesta fase, e acabam impactando a rotina e a qualidade de vida delas”, explica Manzi.

O estudo que foi conduzido por pesquisadores afiliados ao McLean, o maior hospital psiquiátrico universitário da Harvard Medical School, aponta que o tratamento com medicina à base de cannabis não costuma causar quaisquer mudanças cognitivas nos pacientes, e nem causa dependência, uma vez que o composto natural responsável por possíveis alucinações, o tetrahidrocanabinol (THC), não está presente nas concentrações de CBD usadas na terapia dos pacientes, ou está presente em quantidades pequenas, sem a chance de causar estes efeitos. Qualquer paciente que tenha interesse em utilizar o canabidiol deve, em primeiro lugar, passar por uma consulta médica para avaliar indicações e contraindicações. E apenas com receita em mãos, será possível dar início ao tratamento.

Na Simples Cannabis, é possível agendar um horário com um dos especialistas e passar via telemedicina. Posteriormente, a empresa auxilia em todos os trâmites e documentações com a ANVISA para a obtenção da medicação.

“O uso da cannabis medicinal não se resume apenas no tratamento de sintomas como os da menopausa, mas se estende a todas as idades e no tratamento de diversas outras condições”.

Ressaltando que a pesquisa indica que a cannabis medicinal pode ser uma opção de tratamento não hormonal com potencial para aliviar os sintomas da menopausa de forma mais eficaz e possivelmente menos efeitos colaterais em relação aos tratamentos existentes.

 “Embora este estudo forneça informações valiosas sobre o impacto dos efeitos da expectativa de tratamento, mais pesquisas são extremamente necessárias”, acrescentaram os pesquisadores.

Reportagem completa: https://delas.ig.com.br/alimentacao-e-bem-estar/2024-01-07/menopausa–cannabis-medicinal.html