Parlamentos da Escócia e do País de Gales discutem dependência e retirada de drogas psiquiátricas

0
81

Publicação do RxISK: “Ambos os governos escocês e gaulês têm debatido as questões em torno do uso excessivo de drogas psiquiátricas. Eles foram encorajados a entrar em ação por meio de petições lançadas por pessoas com experiência vivida com tais drogas e terapeutas que testemunharam em primeira mão a terrível dificuldade que algumas pessoas podem ter ao sair de drogas psiquiátricas.

A Assembleia Gaulesa publicou seu relatório em 21 de março. Entre as dez recomendações específicas está a necessidade de um maior reconhecimento da dependência aos medicamentos prescritos a nível nacional, tanto em termos políticos quanto em termos estratégicos. Além disso, eles se comprometem a investigar, enquanto prioridade, o potencial para o lançamento nacional de um Serviço de Apoio à Medicação Prescrita, a fim de garantir que aconselhamento e apoio específicos estejam disponíveis para pessoas que necessitam de assistência  com relação aos medicamentos prescritos. […]

Na Escócia, o processo da petição ainda não atingiu o status de relatório. Em sua reunião mais recente, a Comissão de Petições do Parlamento Escocês concordou em adiar uma análise mais aprofundada da petição até depois do Grupo de Trabalho de Vida curta do Governo Escocês (SLWG) sobre a dependência e retirada de medicamentos sujeitos a receita ter reportado as suas recomendações (com vencimento em 2019). Solicitou-se à Comissão de Petição que demande que: “a evidência completa desta petição… seja levada em conta pelo SLWG enquanto evidência formal de Especialistas por Experiência”.

A Comissão de Petições recebeu um número impressionante de testemunhos escritos de pessoas que relataram sintomas graves ao interromper o uso de drogas psiquiátricas, e evidências completas estão sendo publicadas on-line. Um relatório coletado de “Voz do paciente” foi compilado a partir de evidências da Scottish e da Welsh Petition e enviado para a revisão da Public Health England. ”

Artigo →

Deixe uma resposta