O uso de antidepressivos não impede o suicídio, constata estudo

0
717

Um novo estudo descobriu que os antidepressivos são ineficazes para reduzir as tentativas de suicídio. Os pesquisadores descobriram que cerca de 20% dos participantes tentaram o suicídio após serem hospitalizados por depressão, tomando ou não antidepressivos.

Os pesquisadores descobriram um grande aumento no número de suicídios logo após o início do uso de antidepressivos: até 4 vezes maior no mês imediatamente após tomar o antidepressivo pela primeira vez do que nos meses seguintes.

No entanto, como também houve um aumento pouco antes de tomar um antidepressivo, os pesquisadores argumentam que esse aumento de suicídios se deve mais à “gravidade da doença” do que ao uso de antidepressivos. Os pesquisadores concluem que os antidepressivos nãoreduzemo suicídio.

Merete Osler liderou o estudo nos hospitais Bispebjerg e Frederiksberg, na Dinamarca. Foi publicado na Acta Psychiatrica Scandinavica.

Photo Credit: Flickr

Esta pesquisa vem logo após um estudo recente que descobriu que aqueles que tomavam antidepressivos eram 2,5 vezes mais propensos a tentar suicídio do que aqueles que tomavam um placebo, mesmo depois de controlar a gravidade da doença.

Estudos constataram consistentemente haver aumento das taxas de suicídio daqueles que tomam antidepressivos. Isso é especialmente preocupante quando os dados envolvem crianças e adolescentes. Os pesquisadores também descobriram dados ausentes sobre efeitos adversos, incluindo tentativas de suicídio, em estudos feitos pela indústria farmacêutica, o que mostra ser muito menos seguros do que é dito ao público.

Segundo Osler e os outros pesquisadores, tentativas de suicídio e comportamentos violentos estavamrelacionados ao uso de medicamentos psicotrópicos, entre outros fatores.

“O comportamento suicida e o crime violento foram mais frequentes entre os menos instruídos, aqueles com comorbidade psiquiátrica ou medicação psicotrópica”, eles escrevem.

O estudo, realizado na Dinamarca, usou registros nacionais dinamarqueses para identificar os participantes. Incluiu 95.794 dinamarqueses que foram tratados em um hospital pelo primeiro episódio de um ‘distúrbio afetivo’, como a depressão. Os registros dinamarqueses também identificaram todos aqueles a quem foram prescritos antidepressivos.

Os pesquisadores descobriram que as tentativas de suicídio eram mais prováveis no mês anterior e no mês seguinte ao uso de antidepressivo. Eles usam esses dados para argumentar contra a noção de que os antidepressivos aumentam a tendência ao suicídio. Em vez disso, é provável que os antidepressivos não ajudem a prevenir a suicídio.

No entanto, os pesquisadores observam que não havia dados sobre se as pessoas receberam antidepressivos enquanto estavam no hospital por depressão. Pode ser provável que aqueles que recebem tratamento no hospital recebam antidepressivos, pois normalmente são o tratamento de primeira linha para depressão grave – o suficiente para exigir hospitalização.

Se eles receberam antidepressivos enquanto estavam no hospital, e tentaram o suicídio, e receberam a prescrição de um antidepressivo, os pesquisadores considerariam que eles tentaram o suicídio antesde tomar o antidepressivo – mesmo depois de começarem a tomar o medicamento.

Por esse motivo, a descoberta de que tentativas de suicídio também eram mais prováveis imediatamente antesda primeira prescrição de um antidepressivo pode ser causada pelo recebimento de antidepressivos no hospital.

No entanto, os pesquisadores concluíram que “a incidência semelhante de tentativas de suicídio e violência antes e depois do início dos antidepressivos argumenta contra uma relação causal entre o comportamento suicida e agressivo e o início dos antidepressivos”.

****

Osler, M., Wium‐Andersen, M. K., Wium‐Andersen, I. K., Gronemann, F. H., Jørgensen, M. B., Rozing, M. P. (2019).Incidence of suicidal behavior and violent crime following antidepressant medication. A Danish cohort study. Acta Psychiatrica Scandinavica. DOI:10.1111/acps.13097 (Link)