Apoio de Pares Eficaz para a Recuperação Clínica e Pessoal

Uma meta-análise recente das intervenções de apoio de pares mostra que elas são eficazes para a recuperação clínica e pessoal de uma variedade de questões de saúde mental.

0
158

Um novo estudo publicado em Psychological Medicine revela que as intervenções de apoio de pares (PSIs) podem efetivamente facilitar a recuperação de doenças mentais em vários ambientes. Estes resultados permitem uma análise mais profunda de como os serviços de apoio de pares podem ajudar os indivíduos na recuperação e que tipos de recuperação podem ser acessíveis através das PSIs.

“O apoio de pares envolve uma troca mútua de apoio prático e emocional, baseado no ‘entendimento compartilhado, respeito e fortalecimento mútuo entre pessoas em situações similares com ingredientes críticos, tais como responsabilidade compartilhada, esperança, autodeterminação ao longo da vida e o uso do conhecimento da experiência vivida”, escrevem os autores, liderados por Dorien Smit, pesquisador da Universidade de Radboud e Pro Persona GGz.

Group therapy in session sitting in a circle with therapist

O apoio dos pares é uma relação de apoio emocional mútuo entre indivíduos com experiências pessoais similares. Os serviços de apoio de pares tendem a se centrar no conhecimento da experiência vivida para fornecer cuidados emocionais de uma forma que também facilite a esperança e aumente a autodeterminação.

As ISPs têm sido integradas em muitos programas em vários formatos, resultados alvo e comunidades. Nos últimos anos, o interesse em PSIs cresceu para atender à crescente necessidade de apoio de recuperação entre indivíduos que lidam com angústia psicológica. Outro fator-chave neste interesse cada vez maior também tem sido formalmente apoiado pela Organização Mundial da Saúde na defesa do apoio de pares como uma abordagem de saúde mental centrada na pessoa, na recuperação e baseada em direitos. Finalmente, a pandemia COVID-19 limitou a disponibilidade de serviços de saúde mental, criando uma maior necessidade de intervenções baseadas na comunidade, tais como PSIs.

O apoio de pares também pode ser especialmente benéfico dentro de contextos particulares, como o tratamento das desigualdades de saúde entre os jovens negros e latinos e o planejamento de segurança em torno do suicídio no atendimento de emergência. No entanto, muitas barreiras permanecem na implementação de programas de apoio entre pares e na garantia da entrega eficaz de ISPs.

“O envolvimento em uma intervenção de apoio entre pares pode ser eficaz para reduzir os sintomas de doenças mentais clínicas, melhorar a recuperação pessoal geral e, mais especificamente, a esperança. Em particular para indivíduos com PSI, o apoio de pares demonstrou provável eficácia em todas as três categorias de recuperação”.

A equipe de pesquisa conduziu uma análise sistemática e uma meta-análise de ensaios de controle aleatórios examinando as IPMs. Um estudo sistemático destina-se a localizar a literatura relevante com base em uma lista pré-determinada de termos e critérios de pesquisa. Normalmente, uma meta-análise é conduzida posteriormente para examinar uma estimativa estatística dos resultados do estudo como um todo.

Este estudo se interessou por três resultados da PSI: recuperação clínica, pessoal e funcional. A recuperação clínica captura o grau em que a sintomatologia psiquiátrica melhorou. A recuperação pessoal descreve o grau em que a recuperação percebida ou a agência pessoal melhora. A recuperação funcional é como a qualidade de vida, o compromisso de trabalho e o funcionamento social de alguém melhoram.

A meta-análise mostrou que as ISPs podem facilitar a recuperação pessoal e a recuperação clínica entre aqueles que buscam apoio para o sofrimento psicológico. Entretanto, não foram encontradas evidências que apóiem o papel das ISPs na facilitação da recuperação funcional.

“Embora os efeitos fossem pequenos, o apoio de pares é uma intervenção potencialmente econômica e relativamente fácil de implementar e pode complementar o tratamento profissional. Terapeutas, clínicos gerais e funcionários de serviços orientados à recuperação podem encaminhar seus clientes a iniciativas de apoio entre pares para expandir o contexto dos indivíduos para trabalhar na recuperação ao lidar com doenças mentais”, escrevem os autores.

Smit e colegas recomendam que o apoio de colegas seja considerado um apoio acessível ou complementar ao tratamento profissional.

****

Smit, D., Miguel, C., Vrijsen, J.N., Growneweg, B., Spijker, J. & Cuijpers, P. (2022) The effectiveness of peer support for individuals with mental illness: Systematic review and meta-analysis. Psychological Medicine. 1-10. https://doi.org/10.1017/S0033291722002422. (Link)

[Trad. e edição Fernando Freitas]